Dinheiro para ecoterapia foi parar em telhado de quartel

O deputado Major Olímpio (PDT) promete relatar casos em que há, segundo ele, "grande descontrole" do governo paulista em relação às emendas. Olímpio relatou ao Estado que apresentou, em 2010, uma emenda de R$ 100 mil para a expansão de um programa da Polícia Militar que oferece ecoterapia a pessoas com paralisia cerebral. Segundo ele, a indicação foi feita e o convênio, celebrado, mas a destinação do recurso foi outra. "Não foi usado um centavo para ecoterapia. Usaram o dinheiro para consertar o telhado do quartel", disse. O deputado afirma que o pedido partiu de oficiais da cavalaria.

O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2011 | 03h00

Olímpio relatou ainda o caso de uma Santa Casa que acabou tendo de devolver o dinheiro relativo a uma emenda para atender a uma conveniência política de um deputado da base governista.

"Vou levar caso de emendas minhas que foram encaminhadas, chegaram até a ser objeto de convênio, mas obrigaram a Santa Casa a devolver o recurso, para que o recurso voltasse na semana seguinte como de outro deputado, porque o deputado pertencia à base do governo."

O deputado também rebateu as afirmações do secretário-chefe da Casa Civil, Sidney Beraldo (PSDB), que anteontem criticou a cobertura da imprensa no caso das emendas e afirmou que o governo tem o controle da situação. "Há um grande descontrole por parte do governo", disse Olímpio. / F.G. e F.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.