Dique rompe em Porto Alegre e água obriga famílias a abandonar suas casas

'Pode ter sido acidental ou provocado por ação humana', afirmou o secretário da Defesa Civil da capital

Lucas Azevedo, Especial para o Estado,

31 de agosto de 2013 | 13h01

PORTO ALEGRE - O rompimento de um dique na zona norte de Porto Alegre deixou cerca de 400 residências alagadas na madrugada deste sábado, 31. O incidente atingiu moradores das vilas Asa Branca, Brasília e Elisabete, no bairro Sarandi, e o bairro Americano, na cidade vizinha de Alvorada.

Aproximadamente 200 pessoas tiveram que deixar suas casas, atingidas pelas águas do rio Gravataí, cheio devido à intensa chuva da última Semana.

"Pode ter sido acidental ou provocado por ação humana", afirmou o secretário da Defesa Civil da capital, Ernesto Teixeira. Segundo o titular da pasta, foram encontrados indícios de sabotagem, como árvores cortadas e marcas de pás. Entretanto, ele reconhece que ainda é cedo para apurar um responsável.

Para atenuar a vazão d'água, caminhões da prefeitura depositaram pedras no local do rompimento, que tem cerca de seis metros de largura. A estrutura deve ser reparada apenas no final da noite de sábado.

Os desalojados foram encaminhados para uma igreja e um centro de tradições gaúchas na região. Ninguém se feriu. Como medida de precaução, a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) interrompeu o abastecimento no local.

Além das residências, o estacionamento da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) também ficou em baixo d'água.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.