Cacalos Garrastazu/Obritonews
Cacalos Garrastazu/Obritonews

'Dirceu encarna as propostas do PT'

Segundo Serra, o ex-ministro, que disse haver 'excesso de liberdade de imprensa' no País, é um dos 'camaradas de Dilma'

Angela Lacerda ENVIADA ESPECIAL JUAZEIRO DO NORTE, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2010 | 00h00

O candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, considerou "óbvias" as declarações do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu a sindicalistas, na segunda-feira, nas quais ele argumentou que o excesso de liberdade de imprensa é um dos problemas do Brasil e que a eleição de Dilma é mais importante que a de Lula porque Lula é maior que o PT.

"O José Dirceu é um dos camaradas da campanha da Dilma, ele encarna as grandes propostas do PT para o Brasil e uma delas é a censura à imprensa. É o que ele prega nessa fala: o controle da grande imprensa pelo partido (o PT). Não tem nenhuma novidade. A grande novidade é ele dizendo novamente isso", afirmou o presidenciável ao desembarcar ontem no aeroporto do Cariri, em Juazeiro do Norte. O tucano chegou à cidade, a 530 quilômetros de Fortaleza, para acompanhar a procissão de Nossa Senhora das Dores, padroeira da cidade.

"Que o Lula é mais forte do que o PT é óbvio", complementou Serra quando acompanhava a procissão, que encerrou uma romaria iniciada dia 29 de agosto. "Logo o PT vai mandar de verdade", concluiu. "Isso é uma constatação meio óbvia. Só é interessante porque saiu da boca dele (José Dirceu)".

O senador Tasso Jereissati, candidato à reeleição , foi mais contundente: "José Dirceu acredita que há excesso de oposição, excesso de liberdade de imprensa. Ele acredita que o Parlamento e o Senado devem ficar calados e que os partidos de oposição devem ficar extirpados", afirmou. "E assim se tem a república sindicalista chavista lulista do Brasil."

Popularidade. Tasso demonstrou gozar de grande popularidade, ao ser reconhecido, abraçado e afagado por romeiros que o chamavam de "galeguinho dos olhos azuis".

Segundo ele, "todo regime totalitarista tem a característica de querer extirpar qualquer oposição". Citou Hitler, Mussolini e Stroessner que comandaram ditaduras na Alemanha nazista, na Itália e no Paraguai).

Serra foi beneficiado pela popularidade de Tasso, ao acompanhar o roteiro dos romeiros por mais de duas horas - antes de assistir à celebração religiosa na praça da Matriz, em meio a discussões entre serristas e governistas que gritavam os nomes de Dilma e Lula.

Contra a imprensa. No Rio, o ex-prefeito e candidato do DEM ao Senado, Cesar Maia, também criticou as declarações de Dirceu. Segundo ele, elas mostram que o PT pretende atentar contra a liberdade de imprensa, o direito de propriedade e os valores cristãos. Em vídeo gravado por sua equipe de campanha e veiculado na internet, Maia ainda diz que os petistas querem acabar com a oposição e controlar o Senado, a fim de mudar a Constituição. "O que eles querem, como máxima prioridade, é acabar com a oposição. Principalmente, no Senado. Porque no Senado, eles com 50 senadores - os deles, que podem ser 17, 18, 19, mais aqueles que eles levam na mala - eles mudam a Constituição", disse o ex-prefeito. "E aí vem o projeto do PT, contra a liberdade de imprensa, direito de propriedade, valores cristãos."

Maia disse ainda que não aconteceu uma suposta reunião, no fim de 2003 e início de 2004, entre correntes do PT contrárias à manutenção da política econômica e José Dirceu, que exercia então a chefia da Casa Civil da Presidência.

Segundo ele, o que teria de fato acontecido era que o líder petista pediu calma aos militantes, argumentando que aquilo se tratava de "uma etapa para acalmar a burguesia". "O PT disse isso seis anos atrás e está fazendo agora", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.