Direto da fonte

Duo astral Bastante animado - bem mais que Eduardo Paes -, Sergio Cabral era só alegria, ontem, na Sapucaí. Pudera. Na noite anterior havia sido duas vezes seguidas anfitrião de Lula: para um esquenta no Palácio das Laranjeiras e, depois, para a noite de samba na avenida. "Lula está entusiasmadíssimo com a cifra de 1 milhão de casas que vai construir", contou, no seu camarote privê, montado em conjunto com o do prefeito. Aliás, é a primeira vez que Estado e prefeitura decidem economizar, montando um camarote só. É a sintonia... Wellcome Cabral recebeu ontem, entre outros, o embaixador americano no Brasil, Clifford Sobel, com a mulher. Ambos adoram carnaval. E Sobel é responsável por um feito: foi indicado por um republicano e mantido por um democrata, mesmo sem ser diplomata de carreira. "Isso mostra a importância do Brasil para nós", justificou Sobel à coluna. Força de atração Benedita da Silva teve um consolo, no camarote lateral ao de Lula. Resolveu não ir vê-lo: ele que a procurasse... Foi o que Lula fez. Apareceu lá e ainda brincou com Antonio Pitanga, que tinha um chapéu panamá igual ao seu. Bloco anti-Rambo E Rambo, ao que parece, foi derrotado pelo trânsito do Rio. Sem aparecer domingo, o rumor que corria ontem, nos camarotes, era que Sylvester Stallone, vendo tudo parado, desistiu da Sapucaí. E voltou aos EUA. Será? Atravessou De repente, Marisa Letícia resolveu descer anteontem até a lateral da pista da Sapucaí - e deixou aflito o pessoal da Mocidade, que desfilava naquela hora. Cada vez que ela avançava na pista para dançar ou abraçar a rainha da bateria, Tatiana Pagung, seguranças e fotógrafos atrapalhavam a evolução dos carros. Já dizem que, se a escola perder pontos, será pelo "pé quente" da primeira-dama... Um cantinho longe de tudo Amplo e confortável, num tom creme para o verde claro, o camarote de Sérgio Cabral, que recebeu Lula e dona Marisa, no domingo à noite, teve preparação especial para o ilustre visitante. A porta do camarote do presidente ficou trancada a noite toda e só tinha maçaneta para abrir do lado de dentro. Para garantir a privacidade havia um biombo diante da porta, para que seu interior não fosse visto de fora. Lula fez questão de ter para si uma "área reservadíssima" e chegou a dizer a Sérgio Cabral que não queria nem ministro ali com ele. Só Gomes Temporão, da Saúde, rompeu esse cerco, por algum tempo. Além da TV de plasma e do ar-condicionado, o que conquistou o presidente foi o sofá, onde ele foi seguidas vezes descansar. Os garçons o acharam "muito simpático, mas aparentando cansaço". Um deles relatou que o presidente passou o tempo todo mexendo na tala que imobilizava seu braço esquerdo, onde lhe apareceu uma tendinite. Ali pelas 5 da manhã, apareceu o puxador Neguinho da Beija-Flor, recebido por Lula com um carinhoso beijo na testa. Ao sair, ele explicou que Lula queria, sim, ter ido ao seu casamento. A segurança oficial é que não deixou. Perderam todos A top Carol Trentini chegou, com mais cinco amigas, para entrar no camarote da Schin na Marquês deSapucaí. Mas como o convite tinha sido só para ela, os seguranças da empresa não deixaram as outras entrarem. Com isso, geraram um "pequeno prejuízo" para a Schin pela perda de mídia certeira com a modelo. Ela foi para outro camarote - levando junto sua turma. Sem fazer alarde Orlando Silva, ministro do Esporte, e sua mulher, Ana Cristina Petta, que viram o desfile de domingo no camarote de Sérgio Cabral - onde estavam também outros ministros, além de Lula - arrumaram tempo para comprar fantasias para desfilar na Portela. O plano era misturar-se ontem ao pessoal da escola, sem chamar a atenção. Conseguiram. Cachos de ouro Linda, animada, Gisele Bündchen deu seu rasante domingo no camarote da revista Caras, anteontem, na Sapucaí, com os cabelos mais impecáveis do que nunca. É que a top, que fugiu da imprensa o tempo todo, veio para a folia brasileira especialmente a convite da Pantene. Empresa com a qual mantém contrato. Fanfarra Na contramão do axé, a banda Paroano Sai Milhó é o novo hit do carnaval de Salvador. O grupo, que já ganhou a bênção de Caetano Veloso, tem 16 componentes e canta marchinhas à moda antiga. E todos se vestem de palhaços. Quente é a rua Nova baiana do pedaço, Camille Paglia se rendeu ao carnaval, mas não aos camarotes. Para ela só vale o trio-elétrico. O de Daniela Mercury, claro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.