Diretor de bateria da Portela é morto a tiros

O diretor de bateria da Escola de Samba Portela, Jeferson Vianna, conhecido como Van Dame, de 36 anos, foi assassinado na noite de sábado durante um assalto no subúrbio do Rio. Vianna foi abordado pelos criminosos em seu carro quando passava pelo bairro de Cavalcante, na zona norte. Como era sargento da Marinha e tinha porte de arma, uma das hipóteses investigadas pela polícia é a de que os bandidos descobriram que Van Dame era militar e decidiram executá-lo. O caso foi registrado na 29ª Delegacia de Polícia, localizada em Madureira. Segundo informações da Portela, o corpo do sambista seria velado na quadra da escola e transferido na manhã de hoje para a cidade de Santos, em São Paulo, onde o corpo será sepultado. Van Dame morava no litoral paulista com a família, mas viajava frequentemente nos fins de semana para o Rio, para participar dos ensaios da bateria do grêmio recreativo de Oswaldo Cruz. Em menos de uma semana, esse é o segundo diretor de bateria de uma escola de samba do Rio que é assassinado. Na última quarta-feira, o diretor da Império Serrano, Edgiton Miranda da Silva, de 32 anos, conhecido como Capoeira, foi morto a tiros em Guadalupe, no subúrbio. Na ocasião, o delegado José Otílio Bezerra, da 30ª DP (Marechal Hermes), que investiga o caso, disse trabalhar com a hipótese de o sambista ter sido morto em um acerto de contas. Capoeira, que também trabalhava como segurança em Rocha Miranda, estava em uma padaria quando três homens armados desceram de um carro e dispararam vários tiros contra ele, que morreu na hora. Os assassinos fugiram. O sambista integrava o grupo de ritmistas do Império Serrano havia 12 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.