Diretor de cadeia é afastado por dar privilégios a preso na BA

Na cela de traficante foram achados 280 mil reais, armas e celulares; além disso, ele ficava com a chave do local

03 de junho de 2008 | 04h39

O delegado Luciano Patrício, diretor da Penitenciária Lemos Brito (PLB), em Salvador, foi exonerado do cargo pelo governo baiano. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Justiça e o anúncio deve ser feito no Diário Oficial do Estado desta terça-feira, segundo informações do Jornal da Globo. Veja tambémOperação contra quadrilhas já prendeu 14 na BahiaPolícia apreende pistolas e R$ 250 mil em presídio da BA Patrício é acusado de conceder privilégios ao traficante Genilson Lino da Silva, o "Perna". O traficante ficava com as chaves da própria cela, onde foram encontrados pela polícia 280 mil reais, em dinheiro, duas pistolas calibre 9mm, seis celulares e uma lista com nomes de pessoas que deveriam ser executadas. As irregularidades encontradas na PLB foram descobertas pela polícia durante a operação batizada "Big Bang", realizada nesta segunda-feira por promotores públicos e 520 policiais civis e militares, que cumpriram 26 mandados de prisão e 35 mandados de busca e apreensão.

Tudo o que sabemos sobre:
traficantediretor de cadeiraBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.