Diretor de sindicato alerta para risco de novos apagões

A falta de energia que afetou 15% dos 5 milhões de clientes atendidos pela Eletropaulo na Grande São Paulo no sábado pode se repetir se voltar a ventar forte ou ocorrer maior demanda no consumo. O alerta, do diretor-financeiro do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo, Robson da Silva Thomaz, tem como base a redução do quadro de funcionários da empresa. "Antes da privatização, eram 11 mil. Hoje são 3.500", disse Thomaz, para quem os apagões continuam a ameaçar o Estado. "Se a economia voltar a crescer, teremos um problema gravíssimo." O gerente da Central de Operações e Atendimento da Eletropaulo, Fernando Mirancos, negou que haja falta de funcionários. "A empresa trabalha com quantidade suficiente de pessoas. O que ocorreu foi uma chuva severa, que atingiu vários pontos do sistema", disse. O serviço de atendimento da empresa ficou congestionado. Das 3 horas de sábado até a zero hora de domingo, a Eletropaulo atendeu 45 mil chamadas. Mirancos garantiu que isso não se repetirá no período de chuvas. "Temos atendimento especial no verão." Hoje, com a normalização do fornecimento para a maioria dos 800 mil clientes que ficaram sem energia, os moradores ainda contavam prejuízos. Além de produtos estragados na geladeira, alguns tentavam recuperar aparelhos eletrônicos danificados. "A TV queimou, acho que sofreu sobrecarga", disse o mecânico Nilson Gouveia dos Santos, morador do Embu. Segundo a assistente de direção do Procon Sônia Cristina Amaro, em casos como o de Santos os consumidores devem procurar a Eletropaulo e pedir ressarcimento. "A empresa tem 30 dias para dar uma posição ao cliente."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.