Diretor do CAE diz que sofreu atentado há 1 mês

O vice-presidente do CAE, Alfredo Ramos Richter, denunciou ao Ministério Público Estadual que foi vítima de um atentado. Segundo ele, que é uma das testemunhas citadas pelos promotores na ação civil pública contra a merenda terceirizada, um motoqueiro tentou atropelá-lo no dia 3 de julho, por volta das 8 horas. Aos promotores, Richter relatou supostas irregularidades na qualidade e na forma como a merenda era servida nas escolas pelas contratadas. Disse ainda que presenciou conversas de representantes das empresas em que os acusados estariam combinando a divisão dos lotes da merenda licitados pela Prefeitura em julho, cujos contratos os promotores contestam na ação. O diretor do CAE contou que o atentado ocorreu na Avenida Francisco Ranieri, na zona norte. Ele ia se encontrar com integrantes do CAE quando o motoqueiro subiu na calçada e o atropelou, causando hematomas em sua perna. O motoqueiro, na ocasião, disse: "Fique esperto, seu f.d.p." Aos promotores, Richter disse que o atentado só poderia ter partido de "algum representante de empresa de merenda".

Bruno Tavares e Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

05 Agosto 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.