Diretor do Desipe é exonerado

Dois dias após o término do motim no presídio de segurança máxima de Bangu 1, o governo do Estado anunciou hoje a exoneração do diretor do Departamento do Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro (Desipe), Edson de Oliveira Rocha Junior, e a criação do Regime Especial de Segurança, semelhante ao já implantado em São Paulo para presos de alta periculosidade, como Luis Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, atualmente isolado e sob severa vigilância no Batalhão de Choque da Polícia Militar. Os detentos perderão direitos como banho de sol diário, visitas íntimas e alimentação diferenciada.O major Hugo Freire de Vasconcelos Filho, que atuava no setor de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, assumiu a direção do Desipe, mas continuará subordinado à Secretaria de Justiça. Foi uma espécie de intervenção branca na área comandada pelo secretário de Justiça, Paulo Saboya, embora toda a cúpula da segurança negue. ?Há uma coesão entre nós?, disse Saboya. O secretário de Segurança, Roberto Aguiar, prometeu ?radicalizar? no confronto com os criminosos. ?Não teremos complacência. Vamos radicalizar até o fim. Somos os tutores da vida e da paz, não da morte e da guerra. Para preservar a vida e a paz, somos capazes de atos cada vez mais radicais?, disse.Aguiar afirmou que haverá operações como a destruição de pistas de pouso ilegais em aeroportos clandestinos, já identificados no Estado, e o reforço da vigilância nos portos e fronteiras para ?resistir a qualquer preço?. Entre as mudanças no sistema penitenciário, o secretário afirmou que não serão mais toleradas regalias aos presos. A segurança de Bangu 1 passará a ser feita por policiais militares e civis, e não mais por agentes do Desipe. Em médio prazo, a medida pode vir a se estender a Bangu 3 e a outros presídios.Para assumir, o novo diretor do Desipe impôs algumas condições, como a total cooperação da PM e da Polícia Civil e a possibilidade de ativá-las sem nenhuma burocracia em caso de emergência. Aguiar contou que a vistoria ocorrida depois da rebelião encontrou, além de armas e telefones celulares, caviar, salmão e uísque em geladeiras usadas por presos. ?Bangu era um escritório do crime e um motel de 1ª classe. Agora, isso vai acabar. Não vai ter mais gente entrando com celular nem conivência de agentes, de um sistema deteriorado há mais de 20 anos.?Com o Regime Especial de Segurança, os presos de alta periculosidade perdem direito a visitas ( normais e íntimas), contato físico mesmo com advogados e passarão a ter apenas um banho de sol semanal. Fernandinho Beira-Mar, Marcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, Marco Antonio Pereira Firmino, o MY Thor, Marcio da Silva Macedo, o Gigante, e Marco Antônio Marinho, o Chapolim, estão desde a sexta-feira em celas individuais, monitoradas 24 horas por câmeras de vídeo no Batalhão de Choque da PM. Beira-Mar ficará detido lá por tempo indeterminado. A idéia do governo é obter a sua transferência para outro Estado. ?Está nas mãos do presidente Fernando Henrique. Vamos ver se ele demonstra apreço ou indiferença com o Rio de Janeiro.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.