Diretor do 'WSJ' reforça aposta na mídia impressa

Exemplo. 'A nostalgia não é uma estratégia', diz Robert Thomson              

Felipe Werneck / RIO, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2010 | 00h00

 

 

 

 

O jornalista Robert Thomson, diretor de redação do jornal The Wall Street Journal, reafirmou ontem, em palestra no 8.º Congresso Brasileiro de Jornais, sua aposta no jornal impresso, com a ressalva de que é preciso se adaptar à nova realidade, exemplificada no crescimento das vendas de tablets como o iPad. "O que não pode é ficar pensando em um passado de glórias", declarou. "A nostalgia não é uma estratégia."

Para Thomson, as novas tecnologias são oportunidade de agregar valor e aumentar o faturamento. Ele citou a chegada de 20 milhões de tablets ao mercado. O diretor disse que os jornalistas devem procurar experimentar esses novos equipamentos, apontados como "parte do futuro". Para ele, o importante é que tipo de jornalismo é feito. "E torná-lo socialmente relevante."

Na mesa Sustentabilidade nos Negócios de Comunicação, o presidente do Instituto Ethos, Oded Grajew, defendeu que se desmonte o "falso dilema entre responsabilidade social e sucesso empresarial, como se a opção fosse entre ser ético e pobre ou malfeitor e bem-sucedido financeiramente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.