Diretor financeiro da Daslu deixa a prisão

O diretor financeiro da Daslu, o empresário Antônio Carlos Piva de Albuquerque, foi libertado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Irmão da dona da grife, Eliana Tranchesi, ele estava preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarulhos, desde 16 de agosto por envolvimento em fraudes de importação, quando teve seu habeas-corpus cassado. As investigações sobre o suposto esquema de contrabando e de fraude fiscal envolvendo a Daslu começaram em outubro de 2004 com a apreensão de uma nota fiscal da Gucci que estava em um contêiner no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. A nota mostrava a venda direta da grife italiana para a Daslu enquanto outra nota, a que foi apresentada à Receita Federal dizia que a mercadoria havia sido exportada por uma de Miami (EUA) para uma importadora no Brasil.Desde então, a PF passou a desconfiar que as empresas eram usadas como fachada pela Daslu. Escutas telefônicas demonstraram que acusados no caso estavam planejando a queima de documentos sobre a fraude. Isso motivou, em julho de 2005, a Operação Narciso. Policiais federais revistaram a Daslu, apreenderam documentos e prenderam a proprietária da loja, Eliana Maria, e seu irmão, além de dois outros acusados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.