Diretora da estatal nega propósito de afrontar a SIP

A diretora-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Tereza Cruvinel, negou que a União Latino-Americana de Agências de Notícias (Ulan) tenha o propósito de afrontar a Sociedad Interamericana de Prensa (SIP), ao oferecer um contraponto estatal à associação, formada por empresas privadas. "Nossa proposta é somente oferecer apoio mútuo entre as agências, fortalecendo-as reciprocamente. A SIP é algo totalmente diferente, até porque envolve jornais, o que não é o nosso caso", afirmou Tereza.

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2010 | 00h00

O diretor executivo da SIP, Julio Muñoz, por sua vez, atribuiu a proposta de criação da Ulan a uma tentativa de fazer com que toda a região tenha um viés de proteção dos governos.

"Uma agência estatal de notícias é a voz oficial de um governo. Portanto, a informação que difunde deve, necessariamente, ser de defesa e proteção de seu patrão", disse Muñoz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.