Diretora de instituição para crianças assassinada em SP

Agentes a equipe C-Sul do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) tentam esclarecer a morte de Shirlei Cristina Branco, de 45 anos, ocorrida, por volta das 22h30 de quinta-feira, na altura do nº 354 da Avenida Stéfano Mauser, no Jardim Regina, região de Pirituba, zona oeste da capital paulista. Shirlei era diretora-presidente do Lar Social Casa Luz e foi assassinada a tiros dentro de sua picape Ford Courier prata, placas DFO 9469/SP. No pára-brisa do carro havia 3 marcas de tiros. O veículo foi incendiado logo após os disparos. A 100 metros do local do crime, um Celta placas DOL 4430/SP, cujo roubo está registrado no 3º Distrito Policial de Diadema, na Grande São Paulo, foi abandonado com a chave na ignição. O assassinato de Shirlei foi registrado no 87º Distrito Policial pela delegada Andrea Costa. A polícia ainda não sabe o que teria motivado o crime, mas não descarta execução. O Lar Social Casa Luz é uma instituição Filantrópica, sem fins lucrativos, que tem por objetivo acolher crianças de ambos os sexos, vítimas de maus-tratos e abandono e em situação de risco pessoal e social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.