Diretores de penitenciária são afastados

O diretor-geral da Penitenciária de Araraquara, Leandro Pereira, e seu substituto, Ocimar Eiras, foram afastados nesta segunda-feira de seus cargos por terem dado a ordem da soltura de 5 presos que estavam cumprindo pena no local. A liberação dos detentos, durante a madrugada de domingo, ocorreu após uma quadrilha de criminosos sequestrar sete membros da família de Pereira e exigido como resgate a soltura dos 5 presos.Segundo o secretário Estadual de Segurança Pública, Marco Vinicio Petreluzzi, será feita uma sindicância para apurar o caso, seguida de processo administrativo.Para Petreluzzi e o secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, a iniciativa de Pereira foi "totalmente equivocada". "O diretor-geral e o substituto, que estava responsável pela penitenciária no momento, deveriam ter comunicado o que estava acontecendo para que tomássemos a melhor decisão", disse Petreluzzi. "Eles não deveriam ter atendido de pronto às exigências dos sequestradores", completou o secretário.Os secretários afirmaram que vão reforçar entre os diretores de presídios e cadeias a necessidade do cumprimento de todas as etapas para a soltura. "As determinações para a liberação de presos já existem, mas como foram burladas vamos buscar meios para reforçá-las", afirmou Furukawa. Os secretários não souberam detalhar quais serão estes novos procedimentos."O Estado não negociará com sequestradores quando a exigência for a soltura de presos", ressaltou Furukawa. O secretário de Administração Penitenciária confirmou que uma equipe da Polícia Civil está no local investigando o caso. "Não entrarei em detalhes, mas as investigações estão caminhando da forma que imaginávamos." Para a polícia, a quadrilha que seqüestrou a família do diretor pode ter sido contratada especialmente para realizar esse resgate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.