Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
MARCOS DE PAULA/ESTADÃO
MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

'Discípulos' da Tijuca superam pirotecnia da Mocidade de Barros

RIO - Os discípulos superaram o mestre. A comissão de carnaval que assumiu a Unidos da Tijuca, depois que Paulo Barros trocou a escola pela Mocidade Independente de Padre Miguel, deixou a escola da zona norte em quarto lugar. A Mocidade - que nem sequer volta no sábado das campeãs - amargou a sétima posição.

CLARISSA THOMÉ, O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 20h13

As duas escolas protagonizaram um duelo particular na apuração. Em enredo, Barros terminou com três nota 10. A comissão de carnaval da Tijuca perdeu um décimo. Mas a Tijuca superou a Mocidade em quesitos como fantasia (29,9 a 29,8), comissão de frente (30 a 29,7), mestre-sala e porta-bandeira (29,7 a 29,5). A atuação de Lucinha Nobre, porta-bandeira da Mocidade, foi prejudicada pelo efeito na sua roupa, que pegava fogo. O casal ficou com duas notas 9,8 e uma 9,9. Ao fim da apresentação, Lucinha sentia o braço dormente e acreditava ter sido queimada. Depois, deu entrevistas dizendo que havia sido só um susto. A comissão de frente também teve efeitos pirotécnicos.

"A gente não tem de julgar o trabalho de Paulo Barros. Ele é um grande artista. Aprendi muito com ele. Ninguém superou ninguém. Fizemos o melhor possível", contemporizou Annik Salmon, que foi braço direito de Barros na Tijuca e ficou na comissão de carnaval depois da saída dele para a Mocidade. Carlos Carvalho, outro integrante da comissão completou: "Para o público, (nosso trabalho) foi uma grande surpresa. Ninguém acreditava." O presidente da Tijuca, Fernando Horta, e Barros trocaram farpas por entrevistas e redes sociais nos últimos dias. Horta não quis comentar nesta quarta-feira o "duelo" com Barros. "Eu não vim aqui ganhar do Paulo Barros. Vim para ganhar de 11 escolas. Paulo Barros não é presidente de escola", reagiu.

O carnavalesco escreveu nas redes sociais, na véspera da apuração: "A Mocidade entrou aos gritos de campeã e saiu ovacionada no setor 11. Independentemente do resultado, fizemos um excelente trabalho. E o povo nos abraçou e comemorou. A Mocidade voltou!" Ele não foi encontrado nesta quarta para comentar o resultado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.