Discursos reciclados e só uma novidade

As imagens aéreas de portos, estradas e fábricas remetem a uma campanha presidencial. "Os 42 milhões de brasileiros que vivem aqui fazem de São Paulo um verdadeiro país", reforça o locutor. De forma abrupta, a propaganda se municipaliza: "Pinda cresceu muito no governo do Geraldo", diz um cidadão.

Análise: Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2010 | 00h00

É o programa do candidato do PSDB ao governo, que volta a se apresentar como médico, ex-prefeito de Pindamonhangaba, ex-governador e "deputado do Código de Defesa do Consumidor" - referência nada gratuita à Bíblia de Celso Russomano, do PP.

Declarando-se defensor do povo contra os "maus fornecedores", Russomano propõe transformar-se, no poder, em fiscal de si próprio. "Vou defender você dos péssimos serviços do governo. Imagine eu, governador, fiscalizando e garantido seus direitos."

Aloizio Mercadante (PT) fala como quem concorre à reeleição. "Aprendemos, nesses quase oito anos, a governar, a definir as prioridades." Ele se refere, é claro, ao governo Lula. "Acho que trabalhamos com convicção", acrescenta, sem reparar na contradição. Surge Lula e diz estar "cada vez mais convencido" de que seu candidato mudará São Paulo.

Almoço por R$ 1, remédio grátis, pedágios.De novidade, mesmo, só o beijo gay do PSOL.

É JORNALISTA DO "ESTADO"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.