Discussão de trânsito acaba em morte em Itaquaquecetuba

Uma discussão de trânsito acabou em tiroteio, nesta quarta-feira à noite, na Av. Brasil, Jardim Europa, no município de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. Um pedreiro, de 36 anos, morreu depois de balear um mecânico, de 27, que revidou os tiros, atingindo-o cinco vezes. Ambos residiam no mesmo bairro e, segundo o sobrevivente, eram amigos.Especialista em reforma de telhados, o pedreiro Jair Roberto Santana voltava para casa em seu carro, no início da noite, trafegando pela Av. IV Centenário, em Itaquaquecetuba, próximo à divisa com a Zona Leste da capital. Em outro veículo, o mecânico Alexandre da Silva Franco, tentou ultrapassá-lo e deu-lhe uma "fechada". Por pouco não colidiram.A briga foi apartada por populares e cada um seguiu para sua casa. Mas, conhecido por seu gênio forte, meia hora mais tarde Jair armou-se e saiu à procura de Alexandre. Foi encontrá-lo perto de casa, em um mercado. Novas ofensas e Jair disparou um revólver, atingindo o mecânico nas costas e na cabeça antes de sair correndo. Logo em seguida, se ouviram outros estampidos e o pedreiro caiu atingido por cinco projéteis. Ele morreu quando era socorrido no Hospital Santa Marcelina, naquele mesmo município. Alexandre foi socorrido no Hospital Municipal de Poá. Seu estado foi considerado regular e, depois de medicado, ele foi liberado e levado pela polícia à delegacia de Itaquá, onde foi autuado em flagrante. "Não tenho arma. Quando ele correu, deixou cair um revólver. Devia estar com dois. Apesar de ferido, apanhei o que caiu e atirei cinco vezes. Depois, perdi os sentido e só acordei no hospital", declarou no interrogatório. Apesar dos ferimentos, ele foi preso.

Agencia Estado,

01 de abril de 2004 | 05h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.