Disfarce de carteiro é o preferido dos assaltantes

O documento da CAP mostra que o disfarce predileto dos bandidos é a roupa de carteiro. Ela foi usado 19 vezes pelos criminosos. O segundo mais utilizado é o de funcionário da Sabesp, seguido pelos uniformes da Polícia Civil. Em quarto lugar, aparece a roupa de funcionários de empresas de televisão a cabo. Nos outros 165 casos, os bandidos não usaram disfarces. Veja os números do levantamento e leia o ?Blog da Metrópole?Para o delegado Waldomiro Pompiani Milanesi, do Deic, os moradores podem se precaver. "Se alguém diz que tem encomenda para entregar, antes de abrir a porta se deve perguntar quem foi o remetente. Então telefone para quem supostamente enviou a encomenda", sugere Milanesi. Isso evitaria crimes cometidos por ladrões vestidos de carteiros. Outra forma de se precaver é telefonar para a prestadora de serviço. "Use o número que vem na fatura", diz o delegado - trata-se de um jeito de confirmar que a empresa realmente mandou a equipe.As empresas citadas no documento também sugerem a cautela como principal arma dos moradores contra bandidos disfarçados - em todos os casos, a orientação das empresas é para que os moradores, antes de abrirem as portas, perguntem aos supostos funcionários dados como nome completo, superior imediato e telefone do local de trabalho.No caso dos Correios, como o carteiro que passa na residência é quase sempre o mesmo, a empresa sugere que se desconfie caso o funcionário seja "novo" ou passe em horários muito diferentes do habitual. Segundo os Correios, além do uniforme, deve-se observar se o funcionário utiliza crachá com nome e logomarca. Deve-se verificar também se o carteiro porta uma listagem dos objetos registrados, que o destinatário deverá assinar após receber a encomenda - na listagem, deve haver logomarca dos Correios, relação de objetos a serem entregues e os endereços dos destinatários. A empresa ressalta também que não há necessidade de o carteiro entrar para realizar nenhuma entrega ou coleta. No caso de desconfiança de policiais civis, a orientação é que o morador pergunte nome completo, telefone e endereço da delegacia em que o policial estiver lotado. A operadora de TV por assinatura NET - que aparece no levantamento do Deic - orienta os clientes a pedirem nome completo, superior imediato e telefone do local de trabalho. No caso de dúvidas, o cliente deve sempre ligar para o telefone 10621.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.