Disputa entre CDL e PCC deixa cinco mortos

Cinco presos foram mortos com requintes de crueldade, nesta quarta-feira à tarde, durante uma briga no Presídio Adriano Marrey, em Guarulhos, na Grande São Paulo.Segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria das Administrações Penitenciárias, a disputa entre facções criminosas começou no início da tarde, fazendo com que agentes penitenciários e diretores chamassem a Polícia Militar, porque pensaram se tratar de uma rebelião.Quando os policiais entraram no presídio, constataram que não havia fuga ou motim, mas cinco mortos. Um dos detentos foi queimado vivo, e outro, decapitado. As outras vítimas foram mortas com golpes de estilete (barras de ferro pontiagudas). Presos contaram a diretores que houve um confronto numa disputa entre o Comando Democrático da Liberdade (CDL) e o Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa envolvida em várias rebeliões ocorridas recentemente e suspeita de estar por trás de seqüestros e mortes de presos no sistema prisional do País.Informações de presos indicam que os membros do PCC "levaram a melhor" na briga. O caso será registrado por um delegado do 8º Distrito Policial de Guarulhos. Até o momento, nenhum preso assumiu a autoria das mortes, e os nomes das vítimas não foram divulgados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.