Disputa entre facções causa 4ª morte em presídio de Sorocaba

O preso Ademir José da Silva, de 34 anos, foi assassinado com golpes de uma faca artesanal nesta terça-feira, 6, na Penitenciária Estadual Danilo Pinheiro, em Sorocaba. O preso que assumiu a autoria do crime, Rodrigues de Souza, disse que matou Silva porque ele era um "infiltrado" do Primeiro Comando da Capital (PCC). O presídio de Sorocaba é dominado pelo Terceiro Comando da Capital (TCC), facção rival. Esse é o quarto assassinato ocorrido nos últimos dois meses na penitenciária em razão da disputa entre as facções.No mês passado, foram mortos Amadeu Eduardo Perazzolo, de 24 anos, e Luciano Martins França, de 30. No final de abril, foi assassinado Rubens Jorge Leite Júnior, de 36. Segundo os autores do crime, todos seriam ligados ao PCC e receberam a "missão" de matar o líder do TCC, César Augusto Roriz da Silva, o Cezinha. O preso foi um dos fundadores do PCC, mas deixou a facção após se desentender com outros líderes e foi jurado de morte.Silva foi asfixiado antes de ser golpeado com a faca, feita de uma chapa de ferro. Ele cumpria pena de 25 anos por roubo, tráfico e furto, e tinha sido transferido para Sorocaba na última quinta-feira. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou que o preso foi morto em um acerto de contas e que abriu procedimento para investigar o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.