Disputa por verba em base eleitoral deflagrou crise das emendas paulistas

Disputas por redutos eleitorais no interior paulista, acirradas pelo uso de repasses de verba estadual e também federal, estão entre os principais motivos que trouxeram à tona o escândalo das emendas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Parlamentares da bancada evangélica em Brasília e do Legislativo paulista direcionaram mais de R$ 5 milhões para a base eleitoral do deputado estadual Roque Barbiere (PTB). A maior fatia foi para Birigui, onde ele obteve mais de 50% dos votos em 2010, mas foi derrotado na disputa pela prefeitura em 2008.

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2011 | 03h04

A amigos, Barbiere disse que a "invasão" dos evangélicos em seus redutos eleitorais estaria entre os motivos que o levaram a denunciar o emendoduto. O reforço de verba federal também teria desagradado ao deputado.

As emendas analisadas pelo Estado foram apresentadas a partir de 2009. Um ano antes, o deputado perdeu a disputa em Birigui para o reeleito Wilson Borini (PMDB), "inimigo" do parlamentar que quer vê-lo "morto", como o próprio Barbiere definiu a um site de Araçatuba, em agosto. A publicação do teor dessa entrevista pelo Estado, em setembro, deu início às investigações do emendoduto.

Em 2009, os deputados federais Antonio Bulhões e Roberto Alves, ambos do PRB, propuseram emendas ao Orçamento da União de 2010 de R$ 2 milhões cada para Birigui, ambas liberadas pelo governo. Nenhum deles tem base eleitoral na cidade.

Bulhões, ex-apresentador do Fala que Eu Te Escuto, da Rede Record, recebeu 472 de seus 162.667 votos em Birigui. Ele propôs emenda para "apoio a projetos de infraestrutura turística" em Birigui, cidade que, como o Estado revelou, recebeu quatro vezes mais verba do Turismo que o Rio de Janeiro.

Ex-metalúrgico no Vale do Paraíba, o pastor Roberto Alves recebeu 2 votos em Birigui em 2006 , quando foi eleito suplente - ele não tentou a reeleição em 2010. O pastor destinou R$ 2 milhões para "ações de infraestrutura urbana" na cidade de Barbiere.

Por ironia, Alves chegou à Câmara em 2009 pelo PTB, mesmo partido de Barbiere. Nessa época, já estava no PRB, pelo qual tentou se eleger vereador em Campinas, a 440 km de Birigui.

Assembleia. No Legislativo paulista, os repasses de quatro deputados para o reduto de Barbiere somam R$ 1,3 milhão em emendas apresentadas entre 2009 e 2001. São sete municípios contemplados por Dilmo dos Santos (PV) e Gilmaci Santos (PRB) - dupla que não recebeu um voto em quatro dessas cidades -, além de Adilson Rossi (PSB) e André Soares (DEM).

Entre as emendas de 2010 e 2011 publicadas pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), há cinco que foram repassadas para os municípios onde Barbiere ficou entre os mais votados. Para Valparaíso, onde o petebista foi o campeão de votos, com 1.189 eleitores, Rossi destinou R$ 500 mil para recapeamento de ruas. O socialista recebeu 45 votos.

"Recebi um pedido do prefeito e, como havia uma emenda aqui, decidi enviar para lá", disse Rossi. Segundo ele, Valparaíso fica na região de Araçatuba, que faz parte do campo eclesiástico da sua igreja (Assembleia de Deus) em que pede votos. "Recebi votos em 350 municípios e não posso deixar de atendê-los. Sou amigo do Roque, ele não deve ter ficado nervoso por causa disso."

Os pastores Dilmo dos Santos e Gilmaci Santos propuseram quatro emendas que somam R$ 600 mil para quatro municípios do reduto de Barbiere. Nova Castilho e Lourdes foram contempladas por R$ 150 mil cada por Dilmo, para construção de "barracões multiuso". "Se soubesse que eram redutos do Barbiere, eu não teria mandado ou teria conversado com ele antes."

Gilmaci destinou para Neves Paulista e Santópolis do Aguapeí R$ 150 mil cada, para obras de recapeamento. "Sei que é reduto dele, mas sou amigo de Barbiere e tenho certeza de que ele não se importou com isso. Meu eleitorado é outro", afirmou. "Ele pode estar chateado com a base evangélica, mas tenho certeza que não reclamou de mim."

Em Birigui, André Soares propôs emenda de R$ 100 mil em 2009 para recapeamento de ruas. "Os vereadores pediram. Eu também tinha de justificar os votos que tive lá", explicou Soares, escolhido por 381 eleitores de Birigui - Barbiere recebeu 28.521 votos na cidade. / CHICO SIQUEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, DANIEL BRAMATTI, FERNANDO GALLO E IURI PITTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.