Disque-Denúncia bate recorde de atendimentos

O telefone do Disque-Denúncia registrou recorde de atendimentos no mês de outubro, com 7.841 denúncias, de acordo com os números divulgados nesta segunda-feira pelo Instituto São Paulo Contra a Violência, que coordena o serviço em cooperação com a polícia paulista.A maior parte das denúncias recebidas em outubro ainda está sob investigação, mas os números do instituto e da Polícia Civil mostram que, em seus dois anos de atuação, desde 25 de outubro de 2000, o serviço foi decisivo para o esclarecimento de 2.331 casos, entre os 93.746 recebidos no período. A direção do instituto atribui o aumento de casos em outubro à grande divulgação pela imprensa do telefone 0800-156315, depois que uma denúncia anônima feita por intermédio dele levou a polícia ao cativeiro de uma menina de nove anos, que era mantida seqüestrada em um barraco da Favela Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. A menina foi libertada e um dos seqüestradores preso."Logo depois da libertação da menina, com a ampla divulgação dada pela imprensa ao telefone, ocorreu uma verdadeira explosão na quantidade de denúncias", informou a assessoria de imprensa do Instituto."Em ocasiões anteriores, quando o Disque-Denúncia ajudou a esclarecer outros casos de repercussão, o fenômeno já havia sido notado, mas nunca como agora". Nos primeiros dez meses de 2002, segundo as estatísticas concluídas na semana passada pelo instituto, o Disque-Denúncia registrou mais de 59 mil denúncias, um aumento de 362% com relação a 2001. "Em 2001, certamente por causa da divulgação ainda pequena, foram recebidas pouco mais de 13 mil denúncias", compara a assessoria.A maior parte das denúncias recebidas neste ano, 42,94%, refere-se a tráfico de drogas, seguida de longe por outras ocorrências como homicídios, 5,86%, roubo de veículos, 3,96%, maus-tratos contra crianças, 1,91%, entre outros. O Instituto São Paulo Contra a Violência é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1997 durante o Seminário São Paulo Sem Medo, realizado pelo Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP), para discutir alternativas de combate à violência no Estado. Em 2000 o Disque-Denúncia começou a funcionar.

Agencia Estado,

11 de novembro de 2002 | 20h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.