Disque-drogas atendia médicos e advogados

Médicos, advogados e professores universitários eram clientes de Marcos Cleo, de 44 anos, preso na tarde de anteontem, pela Polícia Civil de Sorocaba, por tráfico de cocaína. Dono de uma loja de carros, ele recebia encomendas por celular, e a clientela usava linguagem codificada para pedir a droga. Para a entrega, Cleo marcava encontros em bairros nobres e se dirigia para o local num Audi preto. Ele já havia sido preso por tráfico em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.