Distribuição de energia elétrica no Rio fica comprometida

Niterói é a região mais afetada pela falta de fornecimento; continuidade da chuva dificulta trabalho de recomposição da rede

Alessandra Saraiva, da sucursal do Rio

07 de abril de 2010 | 12h26

   

 

RIO - A distribuidora de energia elétrica Ampla, que atende 66 municípios no Rio de Janeiro, informou há pouco que as chuvas que atingem a Região Metropolitana do Estado desde a noite de segunda-feira, 5, continuam causando estragos na rede de distribuição de energia da empresa. A companhia informou ainda que, no momento, não há como dar previsão de restabelecimento total das áreas atingidas.

 

Veja também:

link Prefeitura do Rio faz drenagens em bolsões de água na cidade

link Princípio de incêndio tira do ar telefone 192 o Samu

mais imagens Olhar Sobre o Mundo: Drama no Rio, em imagens

especial Especial mostra áreas afetadas pela tragédia

 

A companhia informou que Niterói continua a ser a cidade mais atingida por problemas originados das chuvas e que, nesta localidade, ainda há diversos pontos com o fornecimento de energia elétrica comprometido. Até o momento, a companhia informou que os bairros mais afetados são Largo da Batalha, Santa Bárbara, Pendotiba, Itaipu e Fonseca. Já no município de São Gonçalo, as regiões mais atingidas são Portão do Rosa, Jardim Catarina, Maria Paula e Barro Vermelho. Ainda de acordo a empresa, pontos isolados de Maricá e Itaboraí também estão com fornecimento interrompido.

 

A Ampla informou ainda, em seu comunicado, que a continuidade da chuva tem dificultado o trabalho de recomposição da rede elétrica, que foi destruída em diversos pontos em razão da queda de barreiras, galhos e árvores. Os alagamentos também estão prejudicando o acesso das equipes de emergência aos locais atingidos, por causa do fechamento das principais vias de acesso às regiões. Além disso, a companhia informou também que vários pontos que já tinham sido restabelecidos na manhã de terça-feira, 6, foram novamente afetados com as chuvas desta madrugada.

 

Segundo a Ampla, a empresa conta com mais de 400 colaboradores atuando em regime de contingência, nas regiões de Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí, desde segunda-feira para normalizar a situação o mais rapidamente possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.