Distrito Federal inicia estudos para assentar provisoriamente 2 mil sem-terra

Medida foi tomada depois que agricultores sem terra ocuparam o prédio da Secretaria de Agricultura

Agência Brasil,

22 Março 2012 | 14h50

BRASÍLIA - O governo do Distrito Federal (DF) deve assentar, de forma provisória, cerca de 2 mil agricultores sem terra na região de Brazilândia, informou nesta quinta-feira, 22, o subsecretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, Francisco José Lopes. O órgão iniciou hoje, em parceria com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), os estudos para a definição da área em que eles serão assentados.

A medida foi tomada depois que agricultores sem terra ocuparam ontem o prédio da Secretaria de Agricultura do DF. O fim da ocupação ocorreu por volta das 20h, depois que os líderes do movimento conseguiram obter uma sinalização do Incra sobre a possibilidade de assentar os trabalhadores. Segundo Lopes, apesar do acordo, alguns sem-terra ainda permanecem do lado de fora do prédio da secretaria.

O coordenador-geral da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf) do DF e Entorno, Francisco Miguel de Lucena, disse à Agência Brasil que, ontem, durante reunião com representantes dos governos local e federal, os sem-terra pediram a autorização para que 2 mil famílias ocupem de forma provisória a área em Brazlândia.

Lucena acrescentou ainda que o pedido para a autorização foi acompanhado pela solicitação de garantias de segurança. Segundo ele, as autoridades prometeram liberar o mais rápido possível as terras para a ocupação provisória.

Ontem, por volta das 6h30, o prédio da Secretaria da Agricultura do DF foi cercado por agricultores que reivindicavam mais terras para a reforma agrária na região. Muitos estavam acompanhados por toda a família, inclusive crianças de colo.

Mais conteúdo sobre:
Distrito Federalsem-terra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.