Divergência de leitura dos pitots está no início de uma série de problemas

O cenário de uma desintegração do A330 em pleno voo ganha a cada dia terreno entre os especialistas em acidentes aéreos. Desde a semana passada, ele era admitido por causa da revelação de que os sensores de velocidade (pitot) do jato registraram informações discordantes - um deles marcava 50 km/h a mais do que os outros dois.A diferença na leitura de velocidade consta das 24 mensagens automáticas enviadas pelo jato à sede da Air France, das 23h10 às 23h14, na noite do acidente. Ela pode ter sido causada por uma falha dos pitots, uma das hipóteses para explicar a linha de eventos que levariam à desintegração. O jornal Le Figaro publicou ontem que a divergência de leituras da velocidade levaria ao desligamento da aceleração e do piloto automático. Pilotar sem instrumentos é possível, mas difícil em meio a turbulências e tempestades. O risco é não manter o avião na velocidade mínima de sustentação ou ultrapassar a velocidade máxima, o que pode levar à desintegração.

, O Estadao de S.Paulo

12 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.