Simone Scheuer/Facebook
Simone Scheuer/Facebook

DNA de brasileira é encontrado em corpo achado no mar da Itália

Simone Scheuer Souza desapareceu em junho; polícia investiga se causa da morte foi suicídio ou homicídio

O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2017 | 05h46

Um exame de DNA confirmou que o corpo encontrado há quase três meses é mesmo de Simone Scheuer Souza, brasileira funcionária da MSC. Ela tinha 35 anos e desapareceu no dia 19 de junho, enquanto trabalhava na equipe de limpeza de um cruzeiro que navegava pelo Mar Adriático, da cidade de Veneza para Brindisi, na Itália.

O último contato entre Simone e a família foi no dia 15 de junho, e depois de 4 dias sem notícias, as buscas foram acionadas. Amigos disseram aos investigadores que, às vésperas do sumiço, Simone havia terminado o namoro com um dos tripulantes e, também, se desentendido com o chefe.

No dia 2 de julho, o corpo de uma mulher foi achado no mar de Lignano Sabbiadoro, pela Capitania dos Portos de Grado, em Udine. De acordo com fontes da investigação, as roupas eram idênticas àquelas que Simone usava quando desapareceu. O exame de DNA pode ser confirmado nesta sexta-feira, 29, apesar de o corpo já ter sido encontrado em estado avançado de decomposição. 

As investigações sobre a morte continuam, e a equipe italiana considera duas possibilidades: suicídio ou assassinato (homicídio doloso). A polícia ainda ouvirá o depoimento de dois outros brasileiros que também trabalhavam no cruzeiro, segundo informou o advogado da família de Simone à rede Globo. 

Em nota, a MSC lamentou a notícia. "Recebemos das autoridades a triste notícia sobre nossa colega Simone. Estamos extremamente entristecidos e expressamos nossas mais profundas condolências para a família e amigos", diz o texto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.