Do anonimato para a 'Forbes' em dois turnos

Dilma é eleita 16ª mais poderosa do mundo

Flávia Tavares, O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2010 | 00h00

Ela acordou na segunda-feira com o status de pessoa mais importante do Brasil. E ontem já foi promovida ao ranking das figuras mais poderosas do mundo. A presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), ficou em 16.º lugar na lista da Forbes, divulgada no site da revista americana.

Dilma superou nomes como o do fundador da Apple, Steve Jobs (17.º), do presidente francês Nicolas Sarkozy (19.º), da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton (20.º), do megaempresário e megabilionário, Eike Batista (58.º), e da diva Oprah Winfrey (64.º).

No topo da lista de 68 nomes, está o presidente chinês, Hu Jintao, seguido pelo colega americano, Barack Obama, e pelo rei da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdul Aziz al Saud. O predomínio masculino só é rompido na sexta posição, com a chanceler alemã, Angela Merkel. Em nono, Sonia Gandhi, presidente do Partido do Congresso, na Índia.

Na descrição de Dilma, a revista diz que ela dirigirá "a maior economia da América Latina e o celeiro do mundo". Diz ainda que talvez seu nome não seja muito conhecido ainda, mas será já que o Brasil receberá a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016.

A Forbes afirmou que os 68 nomes foram escolhidos porque "de várias formas estas pessoas moldam o mundo à sua vontade". "São chefes de Estado, importantes figuras religiosas, empreendedores e foras da lei", numa referência a Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.