Doceira confessa que envenenou doces para adiar festa de adolescente

Mulher, que era amiga da família da vítima de envenenamento, espancou o marido para evitar que ele descobrisse trama, diz polícia

estadão.com.br

02 Abril 2012 | 09h25

SÃO PAULO, 2 - A doceira Margareth Aparecida Marcondes, de 45 anos, presa na madrugada do último sábado, 31, em Santa Catarina, confessou durante depoimento que adicionou veneno aos doces enviados para uma adolescente, no último dia 12, em Curitiba, no Paraná.

Segundo o delegado Rubens Recalcatti, responsável pelo caso, Margareth alega que fez isso para tentar adiar a festa da adolescente, de 15 anos, porque já teria usado todo o dinheiro pago pelos doces, em torno de R$ 7 mil. Com o adiamento, ela disse que teria tempo para arranjar a verba para fazer os docinhos.

Margareth, que é amiga da família da jovem, foi contratada para fazer a festa de 15 anos da garota e mandou uma caixa com brigadeiros como amostra. A adolescente e outros quatro amigos comeram os doces e foram internados. A aniversariante foi internada no Hospital de Clínicas de Curitiba e chegou a ter duas paradas cardíacas, mas não ficou com sequelas. Todos passam bem.

Segundo o delegado, Margareth também espancou seu marido, no último dia 20, com medo de que ele soubesse que teria sido ela a autora do envenenamento. Ele permanece internado e seu estado de saúde é crítico.

Margareth foi encontrada por policiais militares dormindo dentro de seu carro, em Barra Velha, em Santa Catarina, por volta das 4h do sábado. Segundo Recalcatti, ela teria fugido até Porto Alegre e voltado para Santa Catarina, onde foi presa.

Mais conteúdo sobre:
envenenamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.