Documento rejeita legalização

As Nações Unidas também apresentam no documento uma postura contrária à legalização das drogas. "As drogas ilícitas representam grande perigo à saúde. Por essa razão, são e devem permanecer controladas", disse Antonio Maria Costa. O texto registra que há três argumentos atuais em favor da legalização. O primeiro é de ordem econômica, ressaltando o melhor uso de recursos antes destinados à repressão - para a ONU, esse custo-benefício é zero, porque vai equivaler a um gasto maior com saúde. Já o argumento de "saúde", de que a regularização evitaria epidemias, atribui demasiado poder de controle aos Estados, sobretudo pobres. Por fim, a alegação de que se tiraria verba do crime organizado é contrabalançada por estatísticas que relacionam outras formas de tráfico, como o de armas, ao crime.Em relação à atuação policial, a recomendação do relatório é de que seja priorizado o combate a criminosos - e não aos usuários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.