Documentos dos EUA citam crises do PT

Telegramas divulgados ontem pelo WikiLeaks mostram que a diplomacia americana em Brasília avaliava que o caso do prefeito Celso Daniel, assassinado em 2002 em São Paulo, e o escândalo Waldomiro Diniz, em 2004, abalaram a reputação do PT.

, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2011 | 00h00

Ao mencionar o episódio em que Diniz, então assessor de José Dirceu na Casa Civil, foi acusado de receber propina da máfia dos bingos, os diplomatas afirmam, em 2004: "Dirceu, já chamado de primeiro-ministro, está claramente enfraquecido, e o PT perdeu muito de sua reputação como partido íntegro",

A seguir, mencionam o caso do assassinato do prefeito de Santo André: "O caso Celso Daniel, o prefeito do PT assassinado em 2002, e a resistência de lideranças do partido de aprofundarem as investigações, também pesam contra o PT".

Por meio dos telegramas enviados ao Departamento de Estado americano, a Embaixada dos Estados Unidos traça perfil de Dirceu, chamando-o de "planejador metódico" e "frio". Diz que ele "não é corrupto", mas que, "como ilustram os casos Waldomiro e Celso Daniel, há uma percepção generalizada de que ele pode descer o mais baixo necessário para alcançar seus objetivos". Em outro telegrama, ao citar o mensalão, os documentos mencionam que a resposta dada por Lula no episódio foi fraca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.