Dois desaparecem em naufrágio de lancha em Brasília

Piloto da lancha não soube esclarecer as causas do acidente; lancha, com capacidade para seis pessoas, estava com 11 tripulantes a bordo

Denise Madueño, da Agência Estado

22 de maio de 2010 | 13h58

BRASÍLIA - Equipes do Corpo de Bombeiros procuram duas jovens desaparecidas no Lago Paranoá, em Brasília, depois que a lancha em que estavam afundou na madrugada deste sábado, 22. Um grupo de dez pessoas que participava de uma festa de aniversário em uma casa às margens do Lago Norte, região nobre da capital, foi fazer um passeio e, na volta, às 3h30, o barco afundou.

 

O condutor da lancha, José da Rocha Costa Júnior, de 33 anos, nadou por cerca de um quilômetro até a margem em busca de socorro, enquanto outro sobrevivente nadou em direção oposta e foi encontrado na outra margem do lago.

 

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 4h45. A equipe de salvamento resgatou seis pessoas que conseguiram se manter flutuando na região onde o barco desapareceu. Duas jovens foram encaminhadas ao hospital com hipotermia, mas não há risco de morte. Uma delas, Rita Queiroz de Lira, 26 anos, é irmã das duas desaparecidas, Liliane Queiroz de Lira, 18 anos, e Juliana Queiroz de Lira, 21 anos.

 

Pelo menos cinco dos ocupantes da embarcação apresentavam sintomas de hipotermia quando foram encontrados pelas equipes de resgate.

 

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o condutor da lancha havia consumido bebida alcoólica, mas o teor encontrado não caracteriza estado de embriaguez. O teste registrou 0,15 g/l. A equipe de salvamento encontrou apenas três coletes salva-vidas. O piloto não soube esclarecer as causas do acidente, mas comentou que em poucos minutos a embarcação afundou completamente.

 

Informações preliminares apontam que havia excesso de passageiros na lancha. A capacidade do barco, com 5,4 metros, é de seis pessoas, segundo o registro da própria embarcação. Ainda segundo informações preliminares, o condutor é habilitado.

 

A Delegacia Fluvial da Marinha vai abrir inquérito para investigar o que levou a lancha afundar e a responsabilidade do condutor. Outro inquérito criminal será aberto pela Polícia Civil de Brasília.

 

O Paranoá é um lago artificial de 48 quilômetros quadrados e é uma das principais áreas de lazer da capital.

 

(Com informações da Central de Notícias e da agência EFE)

Tudo o que sabemos sobre:
acidentelanchadesaparecidosBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.