Dois falsos policiais são presos na zona leste de SP

Dois falsos policiais foram autuados em flagrante, na sexta-feira, no 41º Distrito Policial, de Vila Rica, na zona leste da capital paulista. Com eles foram apreendidos dois carros roubados que foram caracterizados como "viaturas frias" da Polícia Civil, duas pistolas, uma delas roubada de um policial militar, coletes da identificadores de policiais civis, rádios, um colete à prova de bala, credenciais e distintivos falsos de investigador.O delegado Manoel Camassa do 41º Distrio Policial explica que comerciantes da região se queixaram de um suposto policial que chegava em um fiat Pálio Week End de cor prata, com giroflex (luminoso giratório que identifica os veículos da polícia), sirene e rádio comunicador. Segundo os queixosos, ele extorquia dinheiro de pessoas, ameaçava e bagunçava. Entre os denunciantes estavam funcionários de uma boate, onde o tal homem esteve várias vezes. "Um dos investigadores que já trabalhou comigo na Divecar (Divisão de Investigações sobre Furto e Roubo de Veículos e Cargas) e conhece bem as características das placas que são colocadas em viaturas frias avistou esse veículo na Av. Rio das Pedras, em Aricanduva, e o interceptou", conta o delegado. Segundo ele, o homem desceu chamando o investigador de colega e exibindo a credencial de identificação e o distintivo. Apresentou, inclusive um cartão do Detran que identifica o veículo como sendo de uso policial para fins de investigação.Tudo, porém, era falso. Emerson Ernade Domingos Ruvenal, de 28 anos, portava uma pistola calibre 380 que foi roubada de um policial militar, em 2003, na área do 2º Distrito Policial de Guarulhos, na Grande São Paulo. No carro havia também um coleto preto de policial civil. O carro,que estava equipado com rádio de comunicação e giroflex, foi roubado no mês de março, na área do 53º Distrito Policial, de Parque do Carmo, também na zona leste. Levado para a delegacia de Vila Rica, onde foi autuado em flagrante, Emerson revelou outra pessoa que também se passava por policial.Os investigadores foram a um condomínio da Av. Escorpião, em São Mateus. No estacionamento encontra um Santana, também roubado em novembro do anos passado. Subiram ao apartamento e foram recebidos por Sérgio Luiz da Silva, de 36 anos, que se apresentou com nome falso e também exibiu credencial e distintivo policiais. Com ele foram apreendidos uma pistola 9 mm de origem israelense, um colete à prova de balas e outro preto identificador da Polícia Civil. No carro também havia giroflex e rádio comunicador da polícia.Sérgio é procurado pela Justiça. Ele trabalhou como vigilante bancário e teria praticado furto em uma agência do banco Itaú. Foi condenando e, como não foi localizado, havia mandado de prisão em seu nome. Tanto ele quanto Emerson não foram reconhecidos pelos proprietários do Pálio e do Santana como sendo quem os assaltou e levou seus veículos. Por isso foram autuados em flagrante por receptação e por falsificação de documento público. O PM que foi assaltado em Guarulhos, em 2003, não reconheceu Emerson como sendo o ladrão que levou sua arma e também nesse caso ele foi considerado receptador de arma roubada. Ambos também foram indiciados por crimes previstos no Estatuto do Desarmamento. Nenhuma das acusações é por crime afiançável, por isso eles foram encaminhados a um presídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.