Dois homens são atacados por quatro cães fila e morrem

Dois homens morreram, na manhã de hoje, nas imediações do Sítio Santa Rita de Cássia, em Santo Antônio da Alegria, na região de Ribeirão Preto, após serem atacados por quatro cães da raça fila. As vítimas, com mais de 50 anos, lutaram com os animais, mas não resistiram aos ferimentos. Não houve testemunhas das ações dos cães, mas os vestígios de sangue e roupas rasgadas comprovam os ataques. Segundo o delegado Tristão Antonio Borborem de Carvalho, o dono do sítio (de Batatais, mas não revelou o nome) será indiciado por duplo homicídio culposo (sem intenção) e por negligência no cuidado dos animais. Os ataques dos cães ocorreram separadamente e com um intervalo de tempo de cerca de meia hora. As mortes foram descobertas depois por um caseiro do sítio vizinho. A primeira vítima foi o lavrador Hélio Nicodemus de Oliveira, de 55 anos, que mora nas proximidades e caminhava pela estrada. Ele teria sido atacado e resistido. Na tentativa de livrar-se dos cães, teria se atirado num açude próximo, onde seu corpo foi encontrado, boiando. A mulher de Oliveira reconheceu o corpo. O pedreiro João Carlos Castrequini, de 51 anos, de Jardinópolis, que foi ao sítio para fazer o orçamento de uma casa, foi atacado na entrada pelos cães, que estão há cerca de seis meses na propriedade rural. Castrequini também lutou, mas em vão.A polícia foi avisada aproximadamente às 10 horas. Peritos da polícia técnica estiveram no sítio e os corpos foram encaminhados para o Centro de Medicina Legal (Cemel), de Ribeirão Preto, no final da tarde. Os cães conviviam com um casal de caseiros e uma criança de dois anos, que circula tranqüilamente pelo sítio. Após os incidentes, os cães não demonstraram alterações enquanto os policiais estiveram no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.