Dois presidiários são mortos dentro da prisão

Dois presidiários da Penitenciária Agroindustrial São João, de regime semi-aberto, na Ilha de Itamaracá, na região metropolitana, foram assassinados no final da tarde de ontem a tiros e facadas num campo de futebol na área externa da unidade. Provavelmente por outros detentos. Carlos André Francelino da Silva, 25 anos, e Josenildo Arlindo da Silva, 21, ocupavam a mesma cela, de número 2, no Pavilhão Romeiro Neto. O primeiro foi condenado por estupro, a 12 anos de prisão, e cumpria pena desde agosto do ano passado. Josenildo estava na penitenciária há dois meses, por roubo. Sua pena era de quatro anos. A secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) anunciou que irá abrir sindicância interna e o delegado Manoel Canto foi designado para investigar o duplo homicídio. No domingo, um outro presidiário, José Roberto Darc da Silva, 19 anos, foi encontrado morto, decapitado e baleado, na área externa. Um esquema mais rígido de controle de entrada e saída dos presos será adotado. Só um acesso irá funcionar (atualmente são dois) e oito guaritas serão ativadas. As saídas dos detentos só serão permitidas se autorizadas pelo juiz das Execuções Penais. A penitenciária (ex-Penitenciária Agrícola de Itamaracá-PAI), tem capacidade para 532 pessoas e abriga atualmente 426.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.