Dois presos morrem durante rebelião em Curitiba

Dois presos foram mortos e dois agentes são mantidos como reféns em rebelião de 21 presos na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), naregião metropolitana de Curitiba. O motim ficou restrito à 7ª galeria, onde estão as celas destinadas aos presos mais perigosos. É a primeira rebelião nessa unidade. O agente Emerson Ramos foi liberado no fim da tarde. Ainda continuam com os rebelados os agentes Marcos Murilo Holzmann e Amauri Pereira Carneiro.O preso Marcelo Amorim Cardoso, conhecido como Fuscão, líder dos rebelados na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), na região metropolitana de Curitiba, afirmou ser o comandante do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Paraná. Ele revelou isso a repórteres de televisão que foram chamados pelos rebelados pararegistrar a libertação de um dos três reféns.Fuscão reclama que os presos da 7ª galeria são vítimas de opressão e abuso de poder, estando há cerca de um ano isolados, sem receber alimentação adequada. Segundo os repórteres, os presos ameaçaram o primeiro agente feito refém com uma réplica de pistola fabricada com sabão. Depois conseguiram pegar marretas e enxadas, que agora são suas armas. De acordo com o secretário estadual de Justiça, Aldo Parzianello, a rebelião começou por volta das 10h30, quando um agente foi abrir uma das celas para o banho de sol. Um preso imprensou-o contra a porta e ameaçou matá-lo, caso dois agentes não entrassem e abrissem as outrascelas. Elas foram abertas e imediatamente os detentos atacaram Saneo Aparecido Santos, de 27 anos, morador em Toledo (PR), condenado a dezanos de prisão por latrocínio, e Maikon Júlio Passos Ferreira dos Santos, de 22 anos, morador em Curitiba, condenado a 12 anos por assalto a mão armada, matando-os a golpes de marreta e pá, que tinham sido roubados de pessoas que faziam reforma naquela galeria.Um agente que não se identificou disse que Saneo estaria tentando romper com o PCC e pedia para deixar a galeria. No dia 24, ele já teriatentado cortar os pulsos em represália por não ter seu pedido atendido. A assessoria de imprensa da Secretaria da Justiça do Paraná divulgou que 14 dos 21 presos rebelados estão pedindo transferência para outros Estados, cinco deles para São Paulo. De acordo com a assessoria, a proposta apresentada a eles é a rendição em troca da retirada desses 14 da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), levando-os para o Centro de Observação Criminológica e Triagem, para, na próxima semana, estudar a transferência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.