Dois presos são mortos em rebelião em Curitiba

Dois presos morreram e seis ficaram feridos durante uma rebelião no 7º Distrito Policial de Curitiba, no Bairro Boqueirão, durante a madrugada de hoje. Um grupo de presos já condenados revoltou-se com a superlotação e pedia a remoção para o sistema penitenciário. Sem espaço nas penitenciárias, 15 dos rebelados foram transferidos para outros distritos policiais de Curitiba, que também estão com lotação acima da capacidade.A rebelião começou por volta de uma hora da madrugada, quando presos da cela 10 conseguiram arrebentar as grades e alcançar o corredor, soltando os outros detentos. O motim foi encerrado pouco depois das 3 horas, com a interferência do Corpo de Bombeiros e da Tropa de Choque. Enquanto os bombeiros afastavam os presos com jatos de água, os policiais invadiram as celas atirando uma bomba de efeito moral.O preso Claudionel Pereira, de 26 anos, foi encontrado morto no chão de uma das celas dos fundos da carceragem, morto com estocadas, provavelmente em decorrência de briga com outro detento. Ele já estava condenado por assalto, assim como Valdinei da Silva Cassemiro, de 23 anos, que foi morto, também com golpes de estoque, amarrado às grades do corredor. Os seis feridos foram atendidos no Hospital do Trabalhador.O delegado do 7º distrito, Stélio Machado, reconheceu que as rebeliões "não são fatos tão inusitados, em razão da superlotação". Segundo ele, "o trânsito de réus condenados das delegacias para o sistema penitenciário não tem sido a contento?, o que significa que os distritos estão ?suportando uma carga de presos que vem causar esse tipo de transtorno. Celas em que cabem quatro ou cinco estão com dez presos."O 7º distrito, que tem capacidade para 40 presos, estava, no momento da rebelião, com 99, dos quais 35 já condenados pela Justiça. Os mais perigosos e que lideraram a rebelião foram transferidos para outros quatro distritos de Curitiba. Em agosto, já tinha ocorrido uma rebelião na mesma delegacia, quando fugiram 12 presos. Ainda falta recapturar oito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.