Dois seqüestradores estão em presídio de segurança máxima

Dois dos seis estrangeiros presos por participação no seqüestro do publicitário Washington Olivetto já estão na Casa de Custódia de Taubaté, um presídio de segurança máxima na região do Vale do Paraíba, no Estado de São Paulo. A transferência é tratada com absoluto sigilo e a Secretaria de Segurança Pública não divulga nenhuma informação sobre a operação. "Eles são presos de alta periculosidade e tudo o que se refere a eles deve ser tratado em sigilo", disse hoje a assessoria de imprensa da Secretaria. A transferência foi confirmada para a Agência Estado por fontes da polícia.Estão em Taubaté o líder do grupo, Maurício Hernandez Norambuena, e um outro chileno, que já foi identificado pela polícia, mas cujo nome não foi divulgado. Os outros quatro seqüestradores, que se dizem argentinos e portam passaportes argentinos, como todos os seis do grupo, ainda não foram identificados e permanecem presos em São Paulo.A Secretaria de Segurança informou, no início da tarde, que a equipe da polícia chilena que vem para o Brasil ajudar na identificação dos seqüestradores, ainda não deixou aquele país. No final da manhã, circularam rumores de que o grupo do serviço de inteligência dos carabineros (a polícia fardada chilena) já estav a caminho. "Realmente esperávamos eles aqui hoje, mas recebemos a notícia de que ainda não saíram de lá", informou a assessoria de imprensa da secretaria.Equipes dos veículos de comunicação do Chile se revezam na porta da Divisão Especial Anti-Seqüestro (Deas), desde o início da manhã de hoje, a espera de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.