Domingo marcado por manifestações pela paz no Rio

A Avenida Vieira Souto em Ipanema foi palco de duas manifestações pela paz na manhã de hoje. Em uma delas, iniciada no Leblon, às 9h30, cerca de 300 pessoas entre estudantes, professores e diretores de colégios do Programa de Escolas Associadas à Unesco (PEA-Unesco), pediam paz relembrando o líder pacifista Gandhi. "Hoje a rede da Unesco nos países do Hemisfério Sul comemoram o dia mundial da não violência nas escolas", disse a coordenadora regional do programa, Aurora Borges. Ironicamente, das 98 escolas associadas no Rio, cerca de 70 deixaram de participar, segundo Aurora, porque o medo da violência na cidade intimida os diretores que evitam pedir aos estudantes para irem às ruas.A outra começou por volta das 11h e também lembrou o indiano ilustre pela participação do afoxé carioca Filhos de Gandhi. Essa reuniu dezenas de pessoas, muito animadas, entre as quais uma fantasiada de "Diabush", um diabo com uma máscara do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. "O Diabush está aqui para mostrar para onde vai o mundo se continuarmos com a política belicista do Bush - vamos para o inferno", disse o líder do PT na Assembléia Legislativa do Rio, deputado Carlos Minc, um dos organizadores da passeata.O deputado federal Fernando Gabeira, outro organizador do ato, lembrou que os Estados Unidos invadiram o Iraque sem o aval do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). "Os Estados Unidos se colocam acima da lei", disse o parlamentar, para quem vivemos hoje o momento mais grave da história da humanidade desde a II Guerra Mundial. "Hoje é o Iraque, amanhã é a Coréia. Pode ser que depois eles gostem da Amazônia", afirmou Gabeira. Os dois parlamentares frisaram que o ato é a favor do povo do Iraque e não do ditador Saddam Hussein e contra o governo americano, mas não contra o povo e a cultura dos Estados Unidos.No movimento, o casal Ralf e Karina Furtado, acompanhados do filho Bruno de um ano e três meses, vendiam a R$ 10 camisetas propondo Boicote aos produtos americanos. Os três vestindo as suas. O cineasta e videomaker holandês residente do Brasil há 20 anos Gijs Andriessen pintou sua própria camiseta com os dizeres "Bush Assassino".Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.