Domingo na Paulista leva bandeira da paz para a avenida

Mandalas, calendário da lua, signos maias e batuques em tambores de madeira tiveram espaço na 9.ª edição do Domingo na Paulista. O clima de tranqüilidade só era interrompido pelos acordes de forró que surgiam de tempos em tempos vindo de um palco montado perto da Rua Pamplona. Fora isso, as cerca de 15 mil pessoas que circulam todos os fins de semana pelas duas quadras fechadas da avenida só encontraram gente praticando ioga, meditação, crianças brincando e a serpente oriental "emplumada pela paz" fazendo evoluções pelas calçadas.Depois de brincar no pula-pula, jogar amarelinha e disputar uma partida de futebol, as crianças fizeram desenhos com o tema paz em retalhos de tecido. "Adoro pintar. Estou fazendo a bandeira da paz", disse Lucas Marques, de 6 anos, que saiu de Bauru com a mãe, o irmão e os dois primos e foi parar na Paulista por acaso. "Íamos ao parque, mas aqui está melhor, há várias atividades para as crianças", afirmou a mãe do garoto, Helena Marques.A família da dona de casa Maria do Rosário Santos levou uma hora e meia, de ônibus, para ir do Campo Limpo, onde mora, até a Paulista. "Resolvemos ter um dia diferente e aproveitar para conhecer um pouco mais da cidade", contou.

Agencia Estado,

26 de julho de 2004 | 01h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.