Dona-de-casa é presa com droga na cadeia de São José

A dona-de-casa Iraci Rodrigues Borges, de 50 anos foi presa ao tentar entrar na cadeia pública de São José dos Campos com duas porções de maconha e um telefone celular. A intenção era entregar a droga para seu filho Edílson Ribeiro Borges, preso na cadeia e para o detento Robson Rocha. A mulher tentou esconder a maconha e o celular com fita adesiva entre as pernas, próximo à virilha e ainda a bateria do celular e o carregador no sutiã. Ao ser flagrada pelas carceireiras, a mulher confessou que não estava sozinha naquela ação. A dona-de-casa denunciou Andréa Mara de Almeida, que teria pago a ela para que entrasse na cadeia com a droga. "Ela confessou que Andréa aliciava mulheres para entrar com entorpecentes e celulares nos presídios", disse o delegado Carlos Alberto Macedo Bastos. Na casa de Iraci, a polícia encontrou outros papelotes de maconha e três celulares. Os policiais foram também à casa de Andréa e a prendeu em flagrante, achando ainda outros três celulares. "Quando chegamos à casa, ela estava queimando uns papéis, como contas de celulares e carnês de lojas em nome de Iraci Borges. Por este motivo, fica claro a relação entre as duas", afirmou Bastos. Segundo o delegado, a mãe do detento recebia drogas para o filho e tinha os carnês quitados por Andréa, como forma de pagamento. Agora a polícia vai investigar se elas tem ligação com as centrais telefônicas, "pelo número de celulares achados nas casas" informou Bastos. A segunda mulher detida confessou à polícia que alicia companheiras de presos para entrar, inclusive no Presídio Tarciso Leonce Pinheiro Cintra, com celulares e drogas. O presídio é considerado de segurança máxima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.