Dona de casa encontrada morta em apartamento em SP

Policiais civis do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigam, desde à noite desta quinta-feira, a morte da dona de casa Rosana Raimundo Pierre, de 53 anos. Ela foi encontrada morta, por volta das 19h30 da noite passada, sobre a cama, com os olhos vendados, mãos e pernas amarradadas, travesseiro sobre o rosto e 12 marcas de perfurações a facadas, no interior do quarto do apartamento nº 26, do prédio 51- passeio 7, do Condomínio Central Park Lapa, localizado na Rua Corcovado, nº 134, de classe média, no bairro da Lapa, zona oeste da capital paulista.O analista de sistema Antônio Pierre Júnior,de 25 anos, filho único de Rosana, chegou do trabalho por volta de 19h e, como estava sem as chaves, tocou a campainha, mas ninguém atendeu. Depois de esperar um pouco, ele ligou para o pai, o empresário Antônio Pierre, de 52 anos, pois estranhou o fato da janela do imóvel estar aberta. Apesar de terem sido casados durante 20 anos e estarem separados há cerca de 10, o empresário aparentemente mantinha um bom relacionamento com a ex-mulher; talvez por isso, tinha uma cópia da chave do apartamento, com a qual conseguiu entrar.A porta do quarto estava trancada e teve de ser aberta com uma chave do apartamento vizinho. Segundo a polícia, não havia sinais de arrombamento no apartamento que, a princípio, não foi revirado. Foram encontradas duas xícaras com café, uma na cozinha, sem sinais de que alguém já havia bebibo, e outra na sala, já com marcas de uso. De acordo com o empresário, desapareceram do apartamento aparelhos de DVD, videocassete, videogame e um telefone sem fio.Antônio Pierre, que não quis ser filmado pela TV e apresentava nervosismo no momento de prestar depoimento à polícia, informou que a ex-mulher não tinha problemas com vizinho, mas não soube dizer se mantinha algum relacionamento amoroso atualmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.