Dona de casa forja seqüestro para forçar marido a se mudar

Crime aconteceu em Aracaju; mulher levou filhos para casa de amiga para enganar o esposo

Antônio Carlos Garcia, especial para O Estado de S. Paulo

27 de março de 2008 | 10h15

A dona de casa Ana Paula Lopes da Silva, 37 anos, simulou o seqüestro dela e dos dois filhos pequenos - uma menina de dois anos e um menino de 12 - com o objetivo de persuadir o marido para voltar a morar em Bento Gonçalves (RS).   O suposto seqüestro aconteceu no dia 18 de março, nas proximidades do Mercado Municipal Governador Albano Franco, em Aracaju. Ela contou à polícia que foi seqüestrada por dois homens armados que levaram seus dois filhos.   Depois de oito dias de investigação, a titular da Delegacia Especializada em Repressão a Organizações Criminosas (Deroc), Daniella Garcia, descobriu que se tratava de uma farsa ao analisar as imagens das câmeras de segurança que mostravam as crianças chegando naquele estabelecimento em um táxi.   O taxista foi identificado, contou que pegou as crianças em sua residência no bairro Santa Lúcia. Ao checar, a polícia descobriu que a casa era de uma amiga de Ana Paula, que orientou o filho a contar que havia sido seqüestrado.   Ana Paula vai responder por falsa comunicação de crime, que tem pena que varia de seis meses a um ano de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
falso seqüestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.