Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Dono da Petrofort, preso pela PF, continua internado em SP

O empresário Ari Natalino da Silva, dono da Petrofort Brasileiro Petróleo Ltda., continua internado no Hospital Albert Einstein, onde foi preso pela Polícia Federal na madrugada da última sexta-feira. Ele responde a um processo por sonegação de imposto de renda no valor superior a R$ 15 milhões, no período de 1997 a 2000. Além disso, há suspeita do envolvimento do empresário com o traficante Fernandinho Beira-Mar. Segundo o hospital, ainda não há previsão alta para Ari Natalino, que se internou para tratamento de complicações decorrentes de leucemia aguda miloblástica, segundo o boletim do hospital divulgado logo após a prisão. Quando deixar o hospital, ele deverá ser transferido para a Custódia da Polícia Federal.Natalino tinha um mandado de prisão preventiva contra ele expedido pelo juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Federal. A Petrofort de São Paulo é apontada como uma das grandes sonegadoras de tributos no País, além de ser acusada de alterar os combustíveis que comercializa. Na decisão do juiz Mazloum, os antecendentes de Natalino foram ressaltados. Ele já foi investigado na CPI do Narcotráfico, no Congresso Nacional, bem como na Assembléia Legislativa paulista nas CPIs de roubo de carga e de combustíveis. Natalino é investigado por outros crimes também. Em um dos inquéritos, Natalino é acusado de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e outros relacionados a fraudes contra a União. O mesmo juiz autorizou 41 quebras de sigilo bancário e fiscal, além de buscas e apreensões contra pessoas físicas e empresas, algumas delas instaladas no exterior. Essas empresas estariam sendo operadas por "laranjas", num vasto esquema de fraudes financeiras.

Agencia Estado,

02 de março de 2003 | 12h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.