Dono de escritório de advocacia é suspeito de pedofilia na BA

Coodernador de sindicato de transporte em Salvador foi preso em casa; polícia achou fotos de crianças nuas

Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo,

08 Janeiro 2010 | 18h15

O advogado Carlos Eduardo Villares Barral, dono de um escritório em Salvador e coordenador do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Steps), foi preso, na manhã desta sexta-feira, 8, em sua casa, na capital baiana, suspeito de pedofilia.

 

Investigado pela Polícia Civil baiana durante a Operação Expresso - que analisa um suposto esquema de favorecimento de concessão de linhas rodoviárias a empresas, por meio de pagamentos ilícitos -, Barral teve seu computador apreendido por agentes e chegou a ser detido no fim de novembro, depois que policiais encontraram uma arma sem registro em seu escritório.

 

Na análise do computador, peritos encontraram fotos de crianças e adolescentes nus, em poses sensuais. A prisão temporária foi decretada na quinta, pela juíza Ana Queila Loula, da 1.ª Vara Criminal de Salvador. Desde a manhã, os policiais interrogam o advogado.

 

Segundo os agentes do Centro de Operações Especiais da Polícia Civil (COE), onde Barral está detido, o suspeito está muito nervoso e chora com frequência.

Mais conteúdo sobre:
pedofilia Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.