Dono de pit bull que matou menina vai a júri popular

O juiz Jefferson Barbin Torelli, da Vara das Execuções Criminais de Jundiaí aceitou denúncia feita pelo Ministério Público, para levar ao Tribunal do Júri Popular o dono do pit bull Lion, que matou em abril deste ano a estudante Luana da Silva Oliveira, de 8 anos. A criança morreu depois de uma semana em coma, por causa de uma mordida no pescoço. O juiz marcou para julho uma audiência onde irá interrogar o proprietário do cachorro, o vendedor Jamil Martins Alves da Silva, de 25 anos, que se mudou de Jundiaí para Campinas após a morte da garota.O promotor do Ministério Público, Francisco Carlos Cardoso Bastos, que já conseguiu a condenação de uma idosa por prática de aborto, considerou o vendedor culpado de "homicídio doloso", uma vez que sabia dos riscos que corria ao criar um animal perigoso. O cachorro custou ao dono R$ 800,00 e consumia R$ 100,00 em ração por mês.Segundo a Justiça de Jundiaí, essa será a primeira vez no País que o dono de um cachorro será julgado por homicídio doloso (intenção de matar). O julgamento deverá ocorrer ainda neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.