Dono de posto confessa assassinato de promotor

O empresário Luciano Farah Nascimento, dono da Rede West de postos de combustíveis, em Belo Horizonte, confessou nesta segunda-feira a um grupo de delegados do Departamento de Investigações da Polícia Civil da Capital, ter sido o mandante e co-autor do assassinato do promotor Francisco José Lins do Rego Santos, ocorrido no último dia 25, na zona sul da cidade de Belo Horizonte.Segundo o delegado da polícia civil Wagner Pinto, que estava acompanhado de colegas da Polícia Federal durante o interrogatório, Luciano, cuja empresa vinha sendo acusada pelo promotor de fazer parte da chamada "máfia dos combustíveis", disse que ele pilotava a moto que parou ao lado do carro de Lins do Rego, em um semáforo.O cabo da PM Vilmar Ferreira dos Santos, que, juntamente com Luciano, havia sido preso na companhia de outros três policiais, na semana passada, porque atuava como segurança da West, estava na carona da motocicleta e fez mais de 10 disparos contra o promotor.A polícia não havia divulgado, até às 22h25 desta segunda-feira, outros detalhes da confissão do empresário. Informou apenas que ele fora transferido para o Centro de Remanejamento de Presos do bairro Gameleira, na zona oeste.O cabo Vilmar havia antecipado a confissão na tarde desta segunda-feira, mas o fato foi mantido em sigilo pelos policiais, que queriam acareá-lo com Luciano - o que foi feito à noite. Vilmar foi reencaminhado ao 18º Batalhão da Polícia Militar, onde deverá ficar confinado até o final do inquérito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.