Dono de prédio destruído na 'Choque de Ordem' é morto no Rio

Líder comunitário teria ligações com milícias da zona oeste e foi morto com seis tiros na zona oeste da cidade

Alexandre Rodrigues, de O Estado de S. Paulo,

14 de janeiro de 2009 | 13h34

A polícia do Rio investiga a morte do líder comunitário conhecido como Marcão na manhã desta quarta-feira, 14, no Bairro de Gardênia Azul, na zona oeste da cidade. Segundo testemunhas, ele foi abordado por dois homens no interior de um condomínio erguido numa área de invasão. Houve uma discussão e um dos homens atirou em Marcão. Ele foi morto com seis tiros, três deles na cabeça. O líder comunitário é conhecido na região pela construção de prédios e casas improvisadas em favelas da zona oeste. Há uma semana, a Prefeitura do Rio demoliu uma das construções de Marcão, no Recreio dos Bandeirantes, durante a operação Choque de Ordem. Marcão concorreu a uma vaga de vereador pelo PSC em 2008, mas não foi eleito. Segundo a delegada Carla Tavares, da Delegacia da Taquara (32ª DP), o líder comunitário já foi preso em flagrante por furto de energia e alvo de acusações de estelionato e invasão de terra. Ele também é suspeito de associação com a milícia que atua na região. A delegada acompanhou o trabalho da perícia no local, onde o corpo permanece, e seguiu para a 32ª DP, onde ouvirá o depoimento de familiares de Marcão.

Tudo o que sabemos sobre:
Choque de OrdemRiomilícias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.