Dono de prédio que desabou no Recife é indiciado

O dono de um prédio de três andares que desabou no dia 27 de junho, matando sete pessoas na Rua Velha, no Recife, foi indiciado nesta segunda-feira, 6, pelo delegado Otacílio Falcão, que preside o inquérito. Júlio Cal Vidal, que trabalha na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Fortaleza, foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar), lesões corporais culposas e dano ao patrimônio de terceiros.De acordo com o delegado, Vidal foi "negligente" porque havia sido notificado pela prefeitura do Recife da necessidade de reforma do prédio e nada fez. O dono entrou na Justiça para tentar se livrar da responsabilidade, de acordo com o delegado, que isentou de culpa a prefeitura e o comprador do imóvel a quem Júlio Cal Vidal havia vendido por R$ 38 mil, em prestações. O delegado observou que o novo dono ainda não tem o registro do imóvel e não sabia do inquérito envolvendo o seu proprietário ainda legal.Em agosto do ano passado, o prédio havia sido ocupado por sem-tetos, que provocaram um incêndio ao serem retirados por ordem judicial. Um dos sem-teto perdeu a visão. Desde então, o prédio estava desocupado e interditado. Em junho deste ano, ao desabar, o prédio provocou a morte de três mulheres, duas crianças e dois adultos que se encontravam nas habitações ao seu redor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.