Dono e segurança de boate presos por matar cliente

O dono e o segurança de uma boate localizada na Vila Prudente, zona leste da capital paulista, foram presos, no final da noite de quarta-feira, sob a acusação de homicídio duplamente qualificado. O assassinato ocorreu no final da madrugada do último dia 7 no interior da casa noturna Delirius Night Club. Adeilson dos Santos, de 29 anos, dono da boate, e o segurança Givanildo Gomes Monteiro, de 24 anos, são acusados de matar o pedreiro Antonio Ademar de Jesus Souza, de 31 anos, cliente da casa noturna. Segundo a polícia, Ademar foi agredido a pauladas e socos e, após ser estrangulado, teve o crânio perfurado por um tridente e o corpo enrolado em um cobertor. Depois de esconderem o corpo por quase 40 horas na boate, a dupla de assassinos levou o cadáver até Guarulhos, na Grande São Paulo, onde foi abandonado e encontrado dias depois pela polícia. Avisada, a prima da vítima informou que o pedreiro havia sido visto pela última vez dentro da boate na zona leste de São Paulo. Adeilton e Givanildo mataram o pedreiro, pois ele devia muito para a casa noturna e se apaixonou por uma garota de programa, com a qual saía constantemente e insistia em manter relações sem o uso de preservativos. Cansada, a jovem de 20 anos reclamou com o dono da boate, que resolveu por fim ao problema e à vida do pedreiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.